segunda-feira, 26 de maio de 2008

MSN e suas "bizarrisses"

Existe uma coisa que tento entender há algum tempo, para falar a verdade desde quando comecei a usar o MSN para falar com o pessoal. Mas antes vou explicar a situação. Você coloca o e-mail e de repente pode falar com a pessoa. Primeiro que, pra quem vem do tempo do “icq” e do bate-papo UOL, o Messenger foi algo que precisou de muito estudo e aplicação até que conseguisse dominar o programa. Acontece que de lá para cá foram criadas dezenas atualizações para o mesmo.

Ai, o que para nós foi um avanço, para a molecada é algo que existe desde que eles aprenderam que internet serve para se comunicar. Ai, o Nick, que era utilizado para colocar o nome: Maria, João, Pedro, Ana, Anna, Annna(todas as outras variáveis), Carolina, etc... ou então um apelido conhecido: Má, Aninha, Nani e por ai vai, virou uma festa sem sentido.Por exemplo, de uma hora para outra, aparece na telinha do lado direito inferior a seguinte mensagem: “Procuro um amor que seja bom pra mim” está online. Você se pergunta: “Mas quem será esse vagabundo?”. Ai você tem que passar o mouse sobre o nome para ver o e-mail que é: ce_rockandroll@hotmail.com. “Grande merda!” é a frase que passa pela sua mente. Ai você abre a janela para ver se tem uma foto do “viado!”, mas tem um símbolo do São Paulo no lugar, o que confirma o que você já havia pensado sobre a pessoa. Ai o cara resolve puxar papo contigo e tudo que você sabe é que o desgraçado acha que Barão é rock e ainda acha bom, que o viado tem um C e um E no meio do nome e que o mau gosto é completado pela porcaria do time. Ai você passa um puta mico até conseguir um dado relevante do desgraçado para saber quem é o cabra.

Ai vem aquelas pessoas, que entram no MSN e colocam o aviso de ocupada do MSN e escrevem do lado “Não posso falar, estou trabalhando muito”. PORRA! Se você não quer falar não entra na merda do Messenger. Aposto que quando eu puxar papo a pessoa responde na hora.

Sem contar os mentirosos. “Hoje a noite foi boa!”, o cara escreve isso só pra ver quantos amigos vão perguntar quem foi que ele comeu. E numa boa, muito provavelmente a mina não era metade do que ele disse. Porque se fosse, o pessoal já ia saber com antecedência que ele ia sair com a mina. Sem contar que muito provavelmente ele se quer deu uns pegas com a muié, quem dera levar pra cama. Outras vezes o cara está afim de botar ciúmes na “ex”, mas na real ficou em casa dormindo e jogando PS3. A mina não deixa pra menos, cola lá um “Vamo beija muiiito!”, mas fica assistindo várias séries de romance, chorando e comendo chocolate e pipoca.

Ai vem os chatos apaixonados. Esses são de lua, às vezes estão felizes e contentes: “Esqueci o passado, agora vou viver”, e no dia seguinte: “Os fantasmas que me assombram, não me deixam ser feliz”. Cuidado, eles ainda irão te pegar para carregar a cruz. Mas amigo é pra essas coisas e você finge que está interessado, afinal você nunca sabe quando vai trocar de lado.

Depois aparecem aqueles que falam em códigos “SS%____33#!!!!22sssneo”. Mas que porra é essa!?! Português é uma língua tão bonita, aproveite e utilize. Fique atento, essa pessoa ainda vai querer ser seu “amiguxxxxx”, pra poder “trrkkkkkkk uma ideiaxxxxxx, xuperrr legalllll”.

Pra finalizar, bizarro é você, que escreve seu nome ou apelido em comum, coloca uma foto sua e não procura criar dialetos quando existe uma língua universal para se utilizar.

quarta-feira, 21 de maio de 2008

Os primeiros 10

Finalmente terei tempo de começar a escrever sobre os discos e guitarristas que eu postei da última vez. Fui forçado a tirar umas férias do Blog para resolver alguns problemas de trabalho, mas estamos vivos e prontos para a próxima. Para essa primeira lista eu separei os dez discos que eu considero os melhores da lista. Os 10 álbuns que irei comentar são realmente indispensáveis na galeria de qualquer Roqueiro que se preze.


Led Zeppelin II – Led Zeppelin
Para começar a falar sobre esse disco vou dizer uma coisa que as pessoas que lêem meu blog com certa freqüência nunca viram em meus textos. Essa é a melhor banda do mundo, logo esse é o top dos tops dos caras. Gravado em 1969, esse deve ser o disco mais rock and roll dos caras. Guitarras distorcidas sem pudor, Bohan descendo o braço na bateria, linhas de baixo fantásticas e a voz límpida de um Robert Plant ainda muito novo. Os quatro músicos juntam tudo que havia de bom no álbum de debute da banda e melhoram ainda mais, adicionando temperos fantásticos ao gosto musical dos amantes do rock. Aumente o volume em toda e qualquer faixa desse álbum. Todas elas são composições de primeira qualidade.
1- "Whole Lotta Love" – 5:34
2- "What Is and What Should Never Be"– 4:45
3- "The Lemon Song"– 6:19
4- "Thank You"– 4:50
5- "Heartbreaker"– 4:14
6- "Living Loving Maid (She's Just a Woman)"– 2:39
7- "Ramble On"– 4:24
8- "Moby Dick" (instrumental) – 4:22
9- "Bring It on Home" – 4:20

Machine Head – Deep Purple
Lançado em 1972, é o recheio do sanduíche de álbuns do Deep Purple, Fireball (1971) e Burn (1974), outros dois grandes álbuns dos caras. Machine Head é um daqueles álbuns que você coloca no aparelho de som e escuta da primeira até a última música do disco. As músicas demonstram estar em total sintonia e seguem a linha básica do bom e velho Hard Rock.Uma das coisas mais legais do álbum é a música Smoke on the Water, talvez a música mais conhecida do Purple. Foi a última faixa composta para o CD e a letra dela conta toda a trajetória dos caras durante a produção das músicas do álbum. Todos os percalços que os caras precisaram superar para gravar um dos melhores álbuns da história do Rock.
1- "Highway Star" – 6:39
2- "Maybe I'm a Leo" – 5:25
3- "Pictures of Home" – 5:21
4- "Never Before" – 3:59
5- "Smoke on the Water " – 6:18
6- "Lazy" – 7:33
7- "Space Truckin'" – 4:52
8- "When a Blind Man Cries" – 3:33

Sgt peppers lonely hearts club band – Beatles
Este é o oitavo álbum de uma banda britânica pouquíssima conhecida, os Beatles. John Lennon, Paul McCartney, George Harrison e Ringo Starr, os garotos de Liverpool são quatro dos rostos mais conhecidos no mundo. Esse LP lançado em 1966 é o berço do Rock Progressivo. Se Pink Floyd e Dream Theater, que estarão mais para frente dessa lista, fizeram a sua contribuição para a história da música eles devem isso a esse disco dos Beatles. Além da faixa que da nome ao álbum, “A Day in Life” também marca o início da psicodelia no Roack and Roll. Esse disco conta também com “With a Little Help from My Friends”, que ficou ainda mais famosa na voz de Joe Cocker.
1"- Sgt. Pepper's Lonely Hearts Club Band" – 2:04
2"- With a Little Help from My Friends" – 2:46
3"- Lucy in the Sky with Diamonds" – 3:30
4"- Getting Better" – 2:49
5"- Fixing a Hole" – 2:38
6"- She's Leaving Home" – 3:37
7"- Being for the Benefit of Mr. Kite!" – 2:37
8"- Within You Without You" (George Harrison) – 5:07
9"- When I'm Sixty-Four" – 2:37
10- "Lovely Rita" – 2:44
11- "Good Morning Good Morning" – 2:43
12- "Sgt. Pepper's Lonely Hearts Club Band (reprise)" – 1:20
13- "A Day in the Life" – 5:33

Metropolis Pt.2: Scenes From a Memory – Dream Theater
Como comentei no álbum anterior, esses caras devem tudo aos Beatles, mas isso vale só até aqui, a segunda linha. Depois disso entra o fato de os caras serem, tecnicamente, os melhores músicos que já subiram em um palco de Rock. Todos os três fundadores, Mark Portnoy, John Myung e John Pretucci, são formados em música pela “Berklee College of Music”. O resultado dessa zona toda foi um CD de Metal, progressivo, composto mo mesmo formato que uma sinfonia.
1- "Scene One: Regression" (music and lyrics by Petrucci) – 2:06
2- "Scene Two: Part I. Overture 1928" (Dream Theater, instrumental) – 3:37
3- "Scene Two: Part II. Strange Deja Vu" (Dream Theater, Portnoy) – 5:12
4- "Scene Three: Part I. Through My Words" (Petrucci) – 1:02
5- "Scene Three: Part II. Fatal Tragedy" (Dream Theater, Myung) – 6:49
6- "Scene Four: Beyond This Life" (Dream Theater, Petrucci) – 11:22
7- "Scene Five: Through Her Eyes" (Dream Theater, Petrucci) – 5:29
8- "Scene Six: Home" (Dream Theater, Portnoy) – 12:53
9- "Scene Seven: Part I. The Dance of Eternity" (Dream Theater, instrumental) – 6:13
10- "Scene Seven: Part II. One Last Time" (Dream Theater, LaBrie) – 3:46
11- "Scene Eight: The Spirit Carries On" (Dream Theater, Petrucci) – 6:38
12- "Scene Nine: Finally Free" (Dream Theater, Portnoy) – 11:59

Paranoid – Black Sabbath
É o segundo álbum da banda de heavy metal britânica “Black Sabbath”, que revelou para o mundo dois ícones da música: o vocalista Ozzy Osbourne e o guitarrista Tony Iommi. A música mais conhecida do disco é a mesma que dá nome a obra, que até hoje coloca os fãs em êxtase quando é tocada. Conta a lenda que essa música fez parte de todos os shows de Ozzy, mas que até hoje ela nunca foi executada da mesma forma duas vezes. Além disso, os amantes do rock consideram a versão do álbum a melhor de todos os tempos.
1- "War Pigs/Luke's Wall" – 7:57
2- "Paranoid" – 2:52
3- "Planet Caravan" – 4:32
4- "Iron Man" – 5:58
5- "Electric Funeral" – 4:52
6- "Hand of Doom" – 7:07
7- "Rat Salad" – 2:31
8- "Jack the Stripper/Fairies Wear Boots" – 6:15


Dark side of the moon – Pink Floyd
Muito louco, pscicodelia falando alto! É basicamente isso que define o oitavo álbum da banda inglesa Pink Floyd, que a muito tempo é considerada a maior e mais importante representante do Rock Progressivo. Esse álbum também é dono de um recorde ainda não batido. A turnê “Pulse”, que conta com todas as musicas da obra e mais algumas faixas importantes da carreira da banda, é a turnê mais cara de toda a história da música. Quem escutar esse som, não pode deixar de fazer uma das coisas mais legais do mundo, coloque o filme do Mágico de OZ, sem som, e quando o leão da MGM rugir pela terceira vez, de o play no CD. Coloque o álbum para repetir do começo, sente, relaxe e curta uma das experiências mais legais do mundo áudio-visual.
1 "Speak to Me" Nick Mason
2 "Breathe"
3 "On the Run" David Gilmour
4 "Time"
5 "The Great Gig in the Sky"
6 "Money"
7 "Us and Them"
8 "Any Colour You Like"
9 "Brain Damage"
10 "Eclipse"

Back in Black – AC/DC
Riffs, riffs, riffs, riffs e mais riffs, isso define um dos álbuns mais simples e mais fodas que o mundo do Rock and Roll já viu em toda vida. É o retorno da maior banda do gênero que saiu dos confins da Astrália, liderada pelos irmãos Angus e Malcon Young. É também o disco de estréia de Brian Johnson nos vocais, ex-caminhoneiro da banda. Se você quer aprender a ser simples, mas bom, muito bom, escute esse disco e se divirta.
1- "Hells Bells" – 5:12
2- "Shoot to Thrill" – 5:17
3- "What Do You Do for Money Honey" – 3:35
4- "Givin' the Dog a Bone" – 3:32
5- "Let Me Put My Love into You" – 4:15
6- "Back in Black" – 4:15
7- "You Shook Me All Night Long" – 3:30
8- "Have a Drink on Me" – 3:59
9- "Shake a Leg" – 4:06
10- "Rock and Roll Ain't Noise Pollution" – 4:15

Ten – Pearl Jam
O álbum de estréia da banda grunge liderada pelo vocalista Eddie Vedder é considerado o melhor da banda. Os garotos de Seattle lançaram o Cd no final de 1991 e em 1992 chegaram a segunda posição da lista dos 200 melhores da Bilboard. Mais que isso, esse é um álbum criou um novo gênero musical e inspirou uma geração inteira de jovens. Infelizmente essa foi a última grande invenção do cenário musical.
1- "Once"
2- "Even Flow"
3- "Alive"
4- "Why Go"
5- "Black"
6- "Jeremy"
7- "Oceans"
8- "Porch"
9- "Garden"
10- "Deep"
11- "Release"

A night at the opera – Queen
Se você já ouviu falar sobre opera rock, é por que um dia o Queen lançou esse álbum. A banda britânica liderada pelo vocalista Freddy Mercury e pelo guitarrista Brian May dominou grande parte do cenário musical do final dos anos 70 e de toda década de oitenta. Fez shows em lugares que nunca antes as bandas tinham ido, participaram e organizaram o primeiro “Live Aid”. Quem escutar essa obra vai se deleitar com músicas como “Love of my Life” e “Bohemian Rapisody”.
1- "Death on Two Legs (Dedicated to...)"
2- "Lazing on a Sunday Afternoon" (
3- "I'm in Love with My Car"
4- "You're My Best Friend"
5- "'39"
6- "Sweet Lady"
7- "Seaside Rendezvous"
8- "The Prophet's Song"
9- "Love of My Life"
10- "Good Company"
11- "Bohemian Rhapsody"
12- "God Save the Queen"

E pluribus Funk – Grand Funk Railroad
Um dos trios mais incríveis que já existiram na face da terra, mas um dos mais injustiçados. Poucas pessoas já curtiram o som desses norte americanos que fizeram muito sucesso na década de 1970. O nome do CD é uma brincadeira da frase em Latin “E Pluribus Unum”, que significa “De muitos, um”, que consta no selo oficial da presidência norte americana. No caso da banda “De muitos , Funk”. É um daqueles álbuns que você curte da primeira até a última música, sem paradas ou pulos.
1- "Footstompin' Music"
2- "People, Let's Stop The War"
3- "Upsetter"
4- "I Come Tumblin'"
5- "Save The Land"
6- "No Lies"
7- "Loneliness"