segunda-feira, 17 de maio de 2010

A força destruidora de um Riff

Ando numa fase musical bem divertida, relembrando grandes bandas que há muito tempo não ouvia e descobrindo novos sons. Na semana passada comecei a escutar com mais atenção uma nova banda, formada por velhos conhecidos. “Them Crooked Vultures” é formada por nomes já renomados: Josh Homme, guitarrista e vocalista do Queens of the Stone Age; David Grohl, baterista que passou por Foo Fighters e Nirvana; e John Paul Jones, baixista que tocou na maior banda da história, o Led Zeppelin.

Com uma formação cheia de grandes nomes, é lógico que os caras fazem um som bom pacas. E com isso, reforço minha teoria de que uma grande banda e um grande guitarrista são conhecidos por seus grandes riffs antes de solos milaborantes. Isto por que, por incrível que pareça, nem todo solista genial é um bom criador de riffs. E mesmo que um “riffista” não seja bom nos solos, ele geralmente leva vantagem com o grande público.

Josh Homme é um exemplo disso. Desde sua época de “Queens of the Stone Age” ele tem se provado um grande compositor, produtor e “riffeiro” de primeira linha. Uma das linhas de guitarra mais conhecidas da figura é “No one knows”, da época de QOTSA.



Outro som igualmente genial é esse aqui, desenvolvido em companhia de John Paul Jones. “New Fang” está no álbum de debute da banda “Them Crooked Vultures”, e é muito foda!



Música que conta também com uma pegada a lá John Bohan por parte de David Grohl na bateria.

Logicamente existem gênios capazes de criarem grandes riffs tão surpreendentes quanto os solos. Um deles é a lenda Ritchie Blackmore, co-fundador do “Deep Purple” e “Green Bullfrog”. Uma de suas criações mais conhecidas misturando solos e riffs é a boa e velha “Burn”, do álbum que leva o mesmíssimo nome, lançado em 1974.



Na conta de Blackmore também podemos colocar clássicos como “Smoke on the water”, “Strange kind of Woman”, “Space Truckin”, “Stormbringer” e “Highway Star”. Ainda assim, podemos eleger os reis da simplicidade na criação de músicas históricas. O Rolling Stones é, na minha opinião, a banda criadora dos riffs mais legais e simples da música.

É indiscutível a capacidade de Mick Jagger, Keith Richards, Ron Wood e Charlie Watts de criar clássicos do Rock and Roll. Um dos maiores exemplos disso é a música “You got me rocking”, um som genial, que basicamente tem três notas a música toda. Acha fácil? Então faça um som tão foda com essa simplicidade e você terá meu respeito.



Essa simplicidade genial é possível ser conferida em outros grandes clássicos da banda, como “Gimme Shelter”, “Start me up” e “Brown Sugar”.

É definitivo, nada é mais importante no mundo da música que o som fantástico de um riff bem criado e uma guitarra bem tocada. Para fechar, fiquem com uma banda e uma música que nem precisam de apresentação.



“Long live Rock and Roll” – R.I.P. Mr. Ronnie James Dio, o criador do simbolo do Metal! \m/

(1943 - 2010)

Nenhum comentário: